Pesquisar este blog

Jaya Sacinandana Jaya Gaura Hari

Jaya Sacinandana Jaya Gaura Hari

terça-feira, 28 de julho de 2009

Anotem em seus corações






Tridandisvami Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Maharaja
Austrália, Murwillumbah; 18 de fevereiro de 2002

(Uma aula sobre o Jaiva Dharma)

[Há 10 verdades essenciais acerca da existência que são denominadas de Dasamula. O Dasamula Siksa ou os ensinamentos sobre estas verdades foram delineados por Srila Bhaktivinoda Thakura.


amnaya praha tattvam harim iha paramam sarva-saktim rasabdim

tad bhinnamsams ca jivan prakrti-kavalitan tad vimuktams ca bhavad

bhedabheda-prakasam sakalam api hareh sadhanam suddha-bhaktim

sadhyam tat pritim evety upadisati janan gauracandrah svayam sah



”A mensagem dos Vedas recebida através do guru-parampara é chamada de amnaya. Os Vedas e smrti-sastra (tais como Srimad-Bhagavatam) que seguem os Vedas são aceitos como prova autorizada, assim como outros diferentes tipos de evidência, como a percepção direta desde que confirmem a versão Védica. Destas fontes de evidências, as seguintes verdades essenciais são estabelecidas:

1. Hari é a Suprema Verdade;

2. Ele é sarva-saktiman, aquele que possui todas as potências;

3. Ele é akhila rasamrta-sindu, o oceano de toda as melosidades nectáreas transcendentais;

4. Os dois tipos de jivas, nominalmente mukta-jiva e baddha-jiva (almas liberadas e almas condicionadas) são Suas expansões separadas (vibhinnamsa-tattva);

5. As almas condicionadas estão sob o controle de maya;

6. As mukta-jivas estão livres da influência de maya;

7. Tudo o que existe, seja conscientes ou não, é uma manifestação de Sri Hari; sendo, portanto simultaneamente e inconcebivelmente uno e diferente dEle;

8. Bhakti é o único sadhana (meio para se alcançar a meta);



9. O amor de Krsna (prema) é o único objetivo (sadhya);



Svayam Bhagavan Sri Caitanya Mahaprabhu deu instruções sobre estes dez tipos de tattva para as jivas sinceras. Destas instruções, a primeira explica o princípio da evidência (pramana-tattva) enquanto que as nove restantes são prameya-tattva, ou os temas que são estabelecidos por pramana-tattva."

(Dasamula-tattva)

No final de sua aula sobre o Jaiva Dharma em Murwillumbah, Srila Narayana Maharaja explicou estas dez verdades.]


[Srila Narayana Maharaja:] Anote estes princípios em seus corações, em seu caderno, e quando precisar, você poderá dizer com coragem: "Esta é a nossa filosofia". O que é amnaya?

[Sripad Asrama Maharaja:] Amnaya praha quer dizer os ensinamentos védicos conforme trazidos através de nossa sucessão discipular. Há muitos ensinamentos nos Vedas, mas nem todos são aceitos na linha do serviço devocional puro. Amnaya praha significa, especificamente, aqueles ensinamentos presentes nas escrituras védicas que são aceitas por nossos acaryas anteriores e que nos são passados na linha de sucessão guru-discípulo.


[Srila Narayana Maharaja:] Qual é a segunda ?

[Syamarani dasi:] Amnaya apresenta-se separado uma vez que é o pramana, a evidência. Amnaya determina o que é prameya, isto é, o que é estabelecido pelo pramana sástrico. Há nove princípios estabelecidos pela literatura Védica e são chamados de prameya.



O primeiro destes nove é que Hari, Vrajendranandana Sri Krsna é a Suprema Verdade Absoluta. Ele é o advaya-jnana para -tattva. Ele é único sem existir um outro. Todas as demais encarnações e manifestações de Deus vêm dEle. Ele é amsi, ou a origem de todos os avataras e de outras encarnações - como os purusa-avataras, lila-avataras e guna- avataras que são todos emanações dEle. Este é o primeiro prameya estabelecido pelo pramana ou pelo amnaya.

[Srila Narayana Maharaja:] Você deve saber que a palavra Brahma, e também as palavras Alá e Deus, tem o mesmo significado. Brahma significa o maior, como Alá. Mas a palavra Bhagavan tem um significado muito doce. Se alguém tem opulência e grandeza ilimitadas, mas não pode ser muito pequeno e leve, como pode então ser Deus? Ele não pode ser Deus. Mas Krsna tem ambas as qualidades: Ele é o maior, porque o mundo inteiro está situado em um de Seus poros, e Ele está em todos os lugares. Ao mesmo tempo Ele é anoraniyam; Ele está dentro de cada átomo diminuto e em cada partícula dos raios do sol.



Krsna está em todo lugar. Ele está em nós e também nas trepadeiras, árvores, pedras secas e em todos os lugares. Ele está também neste livro. Mas se Krsna está em todo lugar - em átomos, árvores e trepadeiras - porque eles não falam? Nós falamos porque Krsna está em nós, mas por que este livro não fala? Não há jivatma (alma) no livro. Onde há ambos, jivatma e paramatma, falar é possível. Nós podemos falar. Quem somos nós? Somos alma. Krsna está presente no livro, mas não há alma lá. Tanto a alma quanto a Superalma estão presentes nas árvores, assim, elas podem sentir e dizer algo em sua linguagem. Krsna é Supremo. Ele pode ser o mais diminuto do diminuto, e Ele pode ser o maior do maior. Narayana tem muita opulência; Deus tem muita opulência, contudo, a maioria das pessoas pensa que Ele não tem forma e que não pode vir até nós. Mas Krsna vem até nós em uma forma muito doce. Ele é muito ardiloso e amável. Ele pode vir como um filho, um amigo ou como o mais amado. Narayana, Deus, Alá e Huda não virão desta forma, e, por esta razão. Krsna é o Supremo. Hari parama-tattva.

O terceiro ponto é sarva-saktiman (o possuidor de todos os poderes e energias).



[Sripad Madhava Maharaja:] Krsna é todo-poderoso. Ele tem assim muitas saktis (poderes), como jiva-sakti, cit-sakti e maya-sakti, essas três saktis proeminentes. Na verdade, sakti é uma sendo chamada de antaranga-sakti, hladini-sakti ou para-sakti. De acordo com o desejo de Krsna, esta sakti é definida como diferente de acordo com suas diferentes funções. Nos Upanisads está declarado:

na tasya karyam karanam ca vidyate

na tat-samas cabhyadhikas ca drsyate

parasya saktir vividhaiva sruyate

svabhaviki jnana-bala-kriya ca

["O Supremo Senhor não tem nada a fazer e ninguém é igual ou superior a Ele, pois tudo é feito natural e sistematicamente por Suas múltiplas energias." (Svetasvatara Upanisad 6.8)]

Neste mundo, tudo depende da teoria da causa e efeito. Primeiro há uma causa e então se observa um resultado. Mas para Bhagavan Sri Krsna, na tasya karyam karanam ca vidyate. Ele está completamente além da teoria de causa e efeito.



[Srila Narayana Maharaja:] Krsna é sarva-saktiman. Nós não podemos vê-lO com estes olhos ou com esta inteligência, nem podemos tocá-lO com estes sentidos. Embora Ele esteja além de nossos limites, quando Ele quer, Ele chama Yogamaya e ela toca este mundo e Krsna também, e, neste momento, é possível vê-lO.


Alguns acreditam que Krsna é o Deus dos deuses e outros não conseguem acreditam nisto. Kamsa viu Krsna e Krsna tocou seu corpo. Carana e Mustika também O viram, e Ele também tocou seus corpos; mas Eles nunca realizaram que Ele era Deus. Duryodhana e Jarasandha também O viram, assim como Ravana, Kumbhakarna e outros demônios viram Rama. Rama também é Krsna, mas eles nunca realizaram isto. Eles estavam sob a influência de Maya, enquanto que aqueles que estão na associação de Vaisnavas podem realizar quem é Deus através da misericórdia de Yogamaya. Ele é, portanto, sarva-saktiman.


Krsna manifesta-Se neste mundo por meio de pradhana, que por sua vez manifesta o ar, a água, o fogo, o éter e a terra. Pradhana é material, mas também é uma sakti, e este poder de Krsna é chamado maya-sakti ou bahiranga- sakti (energia externa). As manifestações mundanas de pradhana não são eternas, mas o poder em si mesmo é eterno.

O que é rasabdim?



[Pundarika dasa:] Em seguida, Srila Bhaktivinoda Thakura explica que Krsna também é referido como rasabdim, que significa o oceano de rasa, Ele do qual todas as rasas ou doçuras estão emanando. Krsna também é referido como raso vai saha nos Vedas. Ele é o reservatório original de todas as rasas e Ele é a própria personificação da rasa. O que isto significa? Acabamos de ouvir que Krsna é o todo-poderoso e que é dotado com uma potência completamente transcendental. Esta potência manifesta-se de inúmeras maneiras e satisfaz os desejos de Krsna. Os três aspectos principais da potência interna de Sri Krsna são conhecidos como samvit, hladini e sandini, e afetam todas as atividades das potências interna, marginal e externa. Neste mundo material, devido à influência da potência externa, todas as jivas experimentam jadananda, prazer material. Este prazer material é, na verdade, um reflexo pervertido da potência interna de hladini-sakti. Aqueles que cruzam este nível e são capazes de chegar à plataforma de Brahma-bhuta prasanatma (experimentar o brahman) também estão experimentando um reflexo da potência interna do Senhor. Neste estágio mais puro, em Goloka Vrindavana e em todos os mundos espirituais, hladini-sakti provê todos os prazeres para o Senhor. Por esta razão, é dito que Ele é o reservatório de todas as rasas experimentadas por alguém, em qualquer lugar.



[Srila Narayana Maharaja:] Há dois tipos de jivas que vêm de Krsna. Qual é o significado de bhedabheda?

[Srila Bhakti Sara Maharaja:] Neste mesmo sloka, Srila Bhaktivinoda Thakura diz: bhedabheda-prakasam. A Verdade Absoluta é simultaneamente una e diferente de tudo. Em outras palavras, Deus está em todo lugar, mas tudo não é Deus. Esta é a diferença entre a filosofia monista de Shankara e as várias escolas do pensamento Vaisnava, como as de: Madhva, Ramanuja, Visnusvami e Nimbaditya.

[Srila narayana Maharaja:] Em um sentido podemos ver que as jivas são não diferentes de Krsna, mas, ao mesmo tempo, elas são diferentes. As jivas vêm da sakti e são uma transformação da sakti; elas não são manifestações completas como svamsa. Há algumas diferenças e também algumas não-diferenças. As jivas têm algumas qualidades de parambrahma, mas não todas. Elas não podem criar. Elas não podem ser como svamsa, expansões plenárias (Visnu) de Krsna. Elas podem ficar encobertas a qualquer momento. Esta diferença e não-diferença (igualdade) não são concebíveis para as almas condicionadas. Somente pelas palavras dos gurus, ou seja, pelo amnaya, entendimento através do Veda-sastra, que elas podem saber isto.



[Devoto:] Você disse há pouco que a jiva pode sempre pode ser encoberta, mas há dois dias, citou o Jaiva Dharma sobre o fato de Baladeva manifestar certas jivas que são associados eternos de Krsna em Vrindavana.

[Srila Narayana Maharaja:] Não são jivas.

[Devoto:] Mas a palavra no livro é jiva.

[Srila Narayana Maharaja:] Não há palavra apropriada em nossa linguagem. Eles são todos parikaras (associados eternos). A palavra jiva somente é aplicável aqui - neste mundo. Todas as jivas podem ser encobertas. Naquela morada, as expansões de Baladeva Prabhu são chamadas de parisada (associados), e também de chamados nitya-mukta (sempre liberadas). Aqui as almas não são nitya-mukta; mas sim são nitya-baddha. De fato, essas almas não são nitya-baddha (condicionadas eternamente), mas anadi-baddha (condicionadas desde tempos imemoriais). Elas podem ser liberadas.


O que é sadhana?



[Vraja Vallabha dasa:] Sadhana é o processo pelo qual a jiva pode se libertar do reino de maya e também ...

[Srila Narayana Maharaja:] Isto é externo. O que é interno?

[Vraja Vallabha dasa:] Por este processo se alcançará suddha-bhakti.

[Srila Narayana Maharaja:] Através do sadhana, de bhakti, podemos alcançar bhava e gradualmente prema. Sadhana é a execução de sravanam, kirtanam, visnu smaranam, pada-sevanam, arcanam, vandanam, dasyam, sakhyam e atma-nivedanam.

["Ouvindo e cantando sobre os santos nomes transcendentais, forma, qualidades, parafernália e passatempos do Senhor Visnu, lembrando-se deles, servindo os pés de lótus do Senhor, oferecendo respeitosamente adoração ao Senhor com dezesseis tipos de parafernália, oferecendo orações ao Senhor, tornando-se Seu servo, considerando o Senhor como o seu melhor amigo, e rendendo-se totalmente a Ele (em outras palavras, servindo a Ele com o corpo, mente e palavras)."(SB 7.5.23)]


Além disso, os cinco processos mais importantes são:



sadhu-sanga, nama-kirtana, bhagavata-sravana

mathura-vasa, sri-murtira sraddhaya sevana

[Deve-se associar com devotos, cantar os nomes santos do Senhor, ouvir o Srimad-Bhagavatam, residir em Mathura e adorar as Deidades com fé e veneração." ( Cc Madhya 22.128)

Dentre esses cinco processos, os três mais proeminentes são sravanam, kirtanam e visnu smaranam; e entre estes, o mais importante processo é cantar Hare Krsna.

harer nama harer nama

harer namaiva kevalam

kalau nasty eva nasty eva

nasty eva gatir anyatha



["Nesta era de desavenças e hipocrisia o único meio de libertação é cantar os santos nomes do Senhor. Não há outra maneira. Não há outra maneira. Não há outra maneira." (Cc Adi 17.21)].

Nama-sankirtana é o melhor sadhana dentre todos, porque os santos nomes são os próprios Radha e Krsna. Por cantar, podemos alcançar prema, o qual é nosso prayojana. A primeira das dez verdades essenciais é a evidência, e esta evidência é amnaya- aquela que é aceita pelo nosso guru-parampara.

Dentre todas as evidências sastricas, o Srimad-Bhagavatam é supremo. As próximas verdades revelam sambandha-jñana, abhideya e krsna prema- prayojana. Krsna é o Supremo, sem existir um segundo, advaya-jnana-para-tattva. Ele é o oceano de rasa, e Ele é sarva-saktiman. Existem dois tipos de jivas que vêm dEle, e há uma diferença e uma não defierença entre as jivas e o Deus Supremo. O sadhana é a prática de suddha-bhakti, enquanto que prema é prayojana (meta última). Desta maneira, há dez verdades fundamentais. Este Dasamula Siksa foi dadod e forma resumida no Jaiva Dharma, e todos vocês devem se lembrar destas dez verdades.



Meus agradecimentos a todos aqueles que, de alguma maneira, vieram se reunir aqui. Oro para que Krsna derrame Sua misericórdia sobre todos aqueles que auxiliaram com dinheiro, energia ou por dar aulas. Oro para que Krsna e Caitanya Mahaprabhu sejam misericordioso com eles. Além disso, para aqueles que estão cantando (bhajanas e kirtanas) e que estão me auxiliando de alguma maneira - oro para que eles desenvolvam amor e afeição por Krsna e apego por krsna nama. Eles nunca devem ser fracos.

Minhas bênçãos afetuosas para todos vocês.



Advisory: Pujyapada Madhava Maharaja
Transcribers: Raghunatha dasa and Jagad Mohini dasi
Editor: Syamarani dasi
Typist: Radhika dasi

Tradução: Basanti dasi



.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vaisnava Thakura

miche maya-vase, samsara-sagare, padiya chilama ami karuna kariya, diya pada-chaya, amare tarila tumi I fell into the ocean of samsara and became enslaved in futile activities by the influence of maya. You were merciful and delivered me by giving me the shade of your lotus feet. suno suno vaisnava thakura!! tomara carane, sampiyachi matha, mora duhkha kara dura O Vaisnava thakura, please hear me. I have surrendered my head at your feet. Please dispel my misery. jatira gaurava, kevala raurava, vidya se avidya-kala sodhiya amaya, nitai-carane, sampahe -- jauka jvala Pride of caste is a terrible hell. Material learning is but an aspect of ignorance. Please purify me and deliver me to the feet of Nitäi. Please extinguish my blazing agony. tomara krpaya, amara jihvaya, sphuruka yugala-nama kahe kalidasa(krsnadas), amara hrdaye, jaguka Sri-Radha-Syama By your mercy, may the holy names of Sri Yugala appear on my tongue, and may Sri Radha-Syama appear in my heart. This is the prayer of Kalidas. (Jaiva Dharma pg88) i think :-)



================================================


Srila Raghunatha Dasa Babaji explains Dasa-mula

to Vrajanatha and Vijaya Kumara in Navadvipa.

Sri Gopal Guru Gosvami imparts Rasa-Tattva

at the Sri Radha-Kanta Matha in Puri.



p

Hare Krsna
Hare Krsna
Krsna Krsna
Hare Hare
Hare Rama
Hare Rama
Rama Rama
Hare Hare